eletrônica

Ex-aluno do ORT lança novo livro

Gabriel Torres, ex-aluno de eletrônica do Instituto de Tecnologia ORT e um dos mais conhecidos especialistas brasileiros em hardware e redes de computadores, lançou seu novo livro: “Montagem de Micros – Para Autodidatas, Estudantes e Técnicos”.

O livro é um guia prático para a montagem de computadores que, entre os assuntos, aborda:

– Quais peças comprar para montar um computador;
– Como montar um computador “do zero” com instruções detalhadas;
– Inclui as últimas tecnologias da área, tais como discos rígidos SATA-600 (SATA 6G), processadores de dois, quatro e seis núcleos, memórias DDR3, unidades SSD, entre outros;
– Quais ferramentas usar e cuidados para evitar a eletricidade estática;
– Como configurar um arranjo RAID para aumentar o desempenho e/ou a confiabilidade do sistema de armazenamento;
– Como atualizar o BIOS do seu computador;
– Como instalar e configurar o sistema operacional;
– Como testar o computador que você montou para ter certeza de que ele está funcionando bem.

Gabriel Torres é autor de 19 livros na área, foi professor do ORT e, atualmente, é editor-chefe da maior publicação sobre informática da América Latina, o Clube do Hardware (www.clubedohardware.com.br), que recebe a visita mensal de mais de 6 milhões de usuários diferentes.

Read More
,

Onde anda você, Ex-aluno?

Eliezer Lefkovits – Eletrônica 1994:

Me chamo Eliezer Lefkovits, tenho 33 anos e estudei no ORT de 1992 a 1994 (Eletrônica). Ingressei na PUC em 1995 e sou engenheiro de produção civil.

De 1998 a 1999, estagiei na BR Distribuidora e, de 2000 a 2002, estagiei na IBM. Em 2003, ingressei no programa Trainee da Brasil Telecom, tendo sido selecionado entre quase 14 mil candidatos (eram apenas 31 vagas). Após a fusão com a Oi, ainda permaneci 1 ano na companhia e agora estou na Algar Telecom, como Consultor de Negócios do Mercado Corporativo.

Em 2005, fiz uma Pós-Graduação em Engenharia de Petróleo, também na PUC Rio. O mais interessante e marcante ao longo de todos os 16 anos após a saída do ORT é que por onde passamos, seja em empresas ou em Cursos de Pós-Graduação, o fato de SER técnico em Eletrônica ´´abre portas´´ e impõe um certo respeito perante outros engenheiros e demais áreas técnicas. Os sensos de empreendedorismo e de percepção/conhecimento com certeza são mais desenvolvidos naqueles que fizeram um curso técnico.


Eliezer.

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More

Onde anda você, Ex-aluno?

Vitor Kacser – Eletrônica 1973:

O ORT foi um divisor de águas na minha vida, primeiro um ambiente propício para o desafio intelectual, com professores qualificados, que me instigaram a pensar além dos livros. Professores competentes conseguiram motivar a turma na busca de conhecimento, e aqueles que não quiseram seguir um ensino superior, saíram do ORT aos 18 anos prontos para o mercado de trabalho (hoje a escola técnica esta sendo muito valorizada).

Me formei em 1973, claro, outra época, era o Milagre Econômico, bem preparado fui aprovado para trabalhar na Light, Petrobras ou IBM. Como gostava muito de lógica e queria ficar no Rio de Janeiro, escolhi a IBM. Fui o melhor colocado nas provas de admissão para Representante de Serviços Técnicos de Hardware. Passei por diversas posições técnicas, inclusive numa designação Internacional em N.York nos Laboratórios de Desenvolvimento por 3 anos. Em paralelo fiz o curso de Engenharia Eletrônica, que completei antes de sair do Brasil.

Voltei ao Brasil promovido a Gerente de Logística, depois Qualidade, Suporte a Software, Filial Nordeste, S.Catarina, Rio, Brasilia, Estratégia de Serviços, Executivo do projeto SIVAM, Marketing, Vendas para America Latina. Decidi deixar a IBM depois de 25 anos devido à oferta para assumir a Presidência da Equant/Orange.

Depois desta carreira Executiva em empresas Multinacionais de Tecnologia, e reconhecendo a importância do capital humano, fui ser Diretor Regional da “Right Management” que faz desenvolvimento de Liderança.

A atração pelo mercado de tecnologia me levou mais uma vez a este mercado, desta vez como Diretor de Marketing, Vendas e Operações nas empresas Contraste, Clari e PBTI. Hoje tenho uma Consultoria que atua em diversas áreas.

Ao reconhecer que grande parte do sucesso na minha trajetória posso creditar ao ORT, coloquei os meus filhos para estudarem no ORT em Informática e todos eles reconhecem a importância do ORT na vida deles como estudantes e profissionais.

Vitor.

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More

Onde anda você, Ex-aluno?

Jimmy Gurwicz – Eletrônica 1986:

Depois de me formar no ORT em 1986, comecei engenharia na UFRJ. Tranquei os estudos e fiz Aliá para Israel no ano de 1989. Em Israel me formei em Engenharia Elétrica pelo Technion em 1994. Desde que me formei no Technion estou trabalhando na Intel de Haifa, na parte de desenvolvimento de CPU’s. Entre as CPU’s projetadas e desenvolvidas pelo meu time estão incluídas a linha do Centrino (CPU’s para Laptop) e recentemente o Core II Duo.

Sempre digo que no ORT aprendi eletrônica e no Technion aprendi como pesquisar e estudar novas áreas. O ORT teve grande influência positiva para minha carreira como Engenheiro, e tenho muita apreciação por ter tido a oportunidade de estudar nessa excelente escola.

Um grande abraço ao Diretor Hugo, a coordenadora do colégio na minha época (Marisa acredito) e aos meus antigos professores (Fernando, por exemplo).


Jimmy.

Jimmy e sua família em 2009 – Israel

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More

Onde anda você, Ex-aluno?

José Francisco Danciger – Eletrônica 2002:

Graças à formação do Instituto de tecnologia ORT consegui emprego na Marinha do Brasil, através de concurso público. Me sinto muito realizado e isso mostra como os judeus são imprescindíveis na formação e no crescimento do país. Sou muito grato também ao Jacob e Clara Steinberg que financiaram a minha formação!!

José Francisco.

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More

Onde anda você, Ex-aluno?

Gabriel de Lima Gonçalves – Eletrônica 2005:

Na época do vestibular estava certo que ia fazer Eletrônica, melhor, Eng. Eletrônica. Mas, no meio do caminho me esbarrei com Desenho Industrial. Arrisquei. Na época, o curso não era tão disputado, tanto que a relação candidato/vaga não era tão grande assim. Hoje, estou terminando a faculdade, depois de 3 anos no ORT.

Me vejo capacitado na área em que atuo. Muito devo ao Instituto, que me deu uma base muito boa, apesar de não achar na época, mas hoje vejo isso. Estou como estagiário na Emissora Globo, atuando na Arte Rio, CGJE (Central Globo de Jornalismo e Esporte), faço o videografismo do Globo Esporte. Já passei por grandes empresas: Furnas e Conspiração Filmes. Cinco anos depois, aqui na Globo, estou lutando, todos os dias, para ser contratado.


Gabriel.

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More
, ,

Onde anda você, Ex-aluno?

Maria Adelia Albano de Aratanha, formada em Eletrônica no Instituto de Tecnologia ORT em 2004, está atualmente estudando na Alemanha. Numa carta enviada ao colégio em 21 de julho de 2010, Maria Adelia conta sua trajetória desde a formatura no ORT:

Estudo engenharia elétrica na PUC-Rio desde o primeiro semestre de 2005. Logo no início soube da possibilidade de fazer um programa de intercâmbio chamado de duplo-diploma. Neste programa eu completaria 3 anos na PUC e mais 2 anos em alguma universidade fora do Brasil e ganharia os dois diplomas.

Aqui comecei fazer a minha especialidade em engenharia biomédica, a princípio pensei em me dedicar à área de sensores e aparelhos médicos, mas após um ano de estudos, me interessei muito pela parte de nanotecnologia aplicada à medicina. Com isso resolvi fazer o meu projeto final baseado em nanopartículas magnéticas que serão posteriormente utilizadas para diagnóstico. Ao iniciar esse projeto, ainda nos laboratórios da faculdade, surgiu uma oportunidade de concluir o projeto e fazer um estágio nos laboratórios da Merck, em uma outra cidade. Vou iniciar esse estágio agora no mês de agosto e termino em fevereiro, juntamente com o programa de intercambio, quando retorno ao Brasil para mais um semestre na PUC e então receber os meus dois diplomas.

Resolvi fazer este intercambio para a Alemanha, principalmente pela possibilidade de iniciar meus estudos na área de engenharia biomédica (que me interessa desde os tempos do ORT). Após completar o ciclo básico e o primeiro ano de ciclo profissional, me inscrevi e passei no programa de duplo-diploma, vindo para a Universidade Técnica de Braunschweig em setembro de 2008.

Abraços,
Maria Adelia

Maria Adelia e o Coordenador de Eletrônica do ORT, José Fernando da Cruz Nunes

Caros Ex-alunos: enviem, vocês também, suas notícias a marketing@ort.org.br

Clique aqui e veja outros depoimentos

Read More
,

ORT inaugura laboratório de Automação e Robótica

Marc Elie Altit, executivo da Odebrecht, querido amigo e antigo integrante da diretoria ORT , recebeu uma homenagem in memorian dos que ficam e lamentam sua perda.
O laboratório de Automação e Robótica , fundamental para o aprendizado dos alunos de Eletrônica , foi reinaugurado no dia 11 de junho e levará seu nome. No laboratório, alunos testam novos projetos como carros eletrônicos e robôs.

Laboratorio Robotica

Read More